Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2019

Postagem em destaque

As Metáforas das Tamareiras

POR VANDI DOGADO  Certa vez ouvi de um palestrante a belíssima lenda de origem árabe que diz: “quem planta tamareira não colhe tâmaras”. Um afoito espectador na plateia interrompeu-o, erigindo a mão direita e, sem aguardar o devido consentimento, logo emendou em tom elevado e extenso: Mas, pooorqueeeee, senhor? O palestrante como se já esperasse o questionamento manifestou um incógnito sorriso e elucidou que a tamareira leva aproximadamente 100 anos para produzir frutos, ou seja, se considerarmos que a plantemos aos 20 anos de idade, teríamos de viver 120 anos para colher suas tâmaras. Considerei o provérbio esplêndido, porque dele se podem extrair nobres ensinamentos de linguagem e de sapiência. Primeiramente, se tomarmos a expressão no sentido denotativo, defrontemo-nos com uma típica falácia, pois, ainda que naquela época a expectativa de vida fosse baixa, haveria exceções para qualquer ser humano que plantasse a árvore antes dos vinte anos. Por exemplo, se uma criança de 10 anos

Resumo de presepadas do governo federal

Imagem
POR VANDI DOGADO                       Claro que culpar o novo governo pelas desgraças socioeconômicas do Brasil não seria uma atitude lá muito racional. Trata-se do resultado de um processo de más gestões seculares, porém, nada impede de se comparar os índices do último governo com os de agora, ou seja, os dois anos do governo Michel Temer (famoso Vampirão do Dedo-Leve) que havia tirado o Brasil de uma grave recessão e diminuído um pouquinho o desemprego. Gradativamente, o Brasil saía da crise, ainda que com desnecessárias subtrações de direitos trabalhistas que apenas prejudicou trabalhadores pobres e não gerou emprego como declaram que aconteceria. Já no novo governo: - Economia estagnou (mesmo antes da pandemia); - Projetos educacionais, científicos e tecnológicos travaram; - Indústria encolheu (mesmo antes da pandemia); - Dólar subiu muito (mesmo antes da pandemia); - Combustível subiu (antes da pandemia); - Infração subiu (mesmo antes da pandemia); - Faltam remédios de b

Milhões estudantes pobres e ricos serão prejudicados pelas balbúrdias do ministro da Educação

Imagem
POR VANDI DOGADO                                         Abraham Weintraub, atual ministro da Educação, não pertence à área educacional, mas à econômica. Todavia, a completa ausência de formação didático-pedagógica e a falta de experiência nas áreas educacionais não impediu de ser nomeado pelo presidente da República Carlos Bolsonaro para ocupar a mais relevante pasta da União. Pelo menos, o ministro é professor universitário, não é? Sim, entretanto demonstra claramente não apreciar a profissão, uma vez que distorce fatos a fim de depreciar seus pares. Declarou que há balbúrdia nas universidades incentivada por professores esquerdistas, por isso as universidades não obtêm o desempenho esperado. Professores estes que segundo o ministro deverão ser avaliados por desempenho e, caso não obtinham os escores exigidos, precisarão abandonar a profissão. Desempenho? Até aí tudo bem! Então, adotaremos o critério de desempenho do próprio professor Abraham Weintraub conforme informações publicada

PARCEIROS

Total de visualizações de página