Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2022

Postagem em destaque

As Metáforas das Tamareiras

POR VANDI DOGADO  Certa vez ouvi de um palestrante a belíssima lenda de origem árabe que diz: “quem planta tamareira não colhe tâmaras”. Um afoito espectador na plateia interrompeu-o, erigindo a mão direita e, sem aguardar o devido consentimento, logo emendou em tom elevado e extenso: Mas, pooorqueeeee, senhor? O palestrante como se já esperasse o questionamento manifestou um incógnito sorriso e elucidou que a tamareira leva aproximadamente 100 anos para produzir frutos, ou seja, se considerarmos que a plantemos aos 20 anos de idade, teríamos de viver 120 anos para colher suas tâmaras. Considerei o provérbio esplêndido, porque dele se podem extrair nobres ensinamentos de linguagem e de sapiência. Primeiramente, se tomarmos a expressão no sentido denotativo, defrontemo-nos com uma típica falácia, pois, ainda que naquela época a expectativa de vida fosse baixa, haveria exceções para qualquer ser humano que plantasse a árvore antes dos vinte anos. Por exemplo, se uma criança de 10 anos

CONSIDERAÇÕES SOBRE A ÓPERA OS CAPULETOS E OS MONTÉQUIOS

Imagem
 POR VANDI DOGADO "O neurocientista Antônio Damásio afirmou certa vez que só a arte pode melhorar o ser humano. A arte serve para provocar sonhos, mexer com as emoções e com imaginário, escancarar as injustiças e oferecer sentido à existência, e, até mesmo, causar estranheza diante do inusitado. A arte possibilita a recriação de um mundo mais digno, belo e feliz" No dia 15 de abril de 2022, assisti à ópera “OS CAPULETOS E OS MONTÉQUIOS”. Não se enganem, caros leitores! A ópera não se baseia no célebre livro de Willian Shakespeare, todavia na peça teatral de Luigi Scevola de 1818 que estreou somente em 1830 no Teatro La Fenice em Veneza. Tornando-se uma sensação por décadas. Gostei demais do que presenciei! Não só pela competência dos músicos e atores, todavia pelo que constatei nas entrelinhas da trama. A fim de não cometer “spoiler”, evitarei comentar o enredo. Apenas expressarei minhas impressões sobre as sutilezas de resistência sugeridas pelo espetáculo. Já na abertura,

PARCEIROS

Total de visualizações de página